Ribeiro Francês

Nesta secção é descrita de uma forma geral, todas as actividades realizadas no Vale da Travessa do Ribeiro Francês. Existe ainda uma página no facebook dedicada aos trabalhos efectuados nesta área: http://www.facebook.com/pages/Travessa-do-Ribero-Franc%C3%AAs/287961134644935

O vale da Travessa do Ribeiro Francês foi seriamente afectado pelos incêndios de Julho de 2012, em que várias residências foram parcialmente ardidas, campos agrícolas e vegetação local seriamente danificados.

(vista geral do vale da Travessa do Ribeiro Francês, foto de Paulo Coelho, 2012)

Nesta localidade estamos a actuar em várias frentes: 1) apoio e recuperação a famílias/casas que foram parcialmente ardidas devido aos incêndios; 2) limpeza do lixo/vidro/sucata do vale e consciencialização da comunidade local para este problema; 3) recuperação de alguns terrenos/solos segundo alguns princípios de Permacultura (Cuidar da Terra, Cuidado das Pessoas e Repartir os Excedentes); 4) Limpeza da Ribeira, a qual devido à presença de cana-vieira ardida encontra-se parcialmente obstruída e com imenso lixo a descoberto.

(Lixo/sucata encontrada, foto de Paulo Coelho, 2012)

Durante 4 fins-de-semana espera-se colmatar as situações mais urgentes e incitar a comunidade local a participar activamente na recuperação e manutenção do vale. De facto, verifica-se aos poucos uma preocupação em remover o lixo a descoberto dos terrenos, recuperar os jardins, o verde da vegetação, etc. e um maior espírito de entre-ajuda pelos próprios moradores.

Aos poucos o vale começa a renascer e o verde a ganhar cor!

Durante os próximos meses, alguns membros do Grupo Transição na Madeira farão o acompanhamento das actividades localmente e quando necessário em actividades específicas será canalizada a presença de um maior número de voluntários (Exemplo: apanha de feiteira).

(Jardim recuperado e coberto com feiteira após os incêndios, foto de Paulo Coelho, 2012)

Descrição das acções realizadas no Vale da Travessa do Ribeiro Francês

1) Apoio às famílias/casas:

Casa 1

Remoção de entulho de 2 quartos. Recuperação de Jardim: remoção de tronco de palmeira ardida, corte de árvores ardidas, espiral de plantas aromáticas e colocação de várias plantas em vasos. Donativo de plantas ornamentais, plantas aromáticas, árvores de fruto, roupa de casa, roupa de inverno, material de limpeza, máquina de lavar roupa. Limpeza de terrenos adjacentes: corte de cana-vieira, remoção de lixo/vidro.

Casa 2

Remoção de entulho zona exterior. Recuperação de jardim: limpeza do terreno e vasos ardidos. Donativo de plantas ornamentais, árvores de fruto, roupa de casa e roupa de inverno.

Casa 3

Recuperação de jardim: colocação de plantas em vasos e no terreno. Corte de árvores ardidas do jardim e terrenos agrícolas. Donativo de plantas ornamentais.

Casa 4

Feiteira para plantar batatas. Donativo de rama de batatas, pintainhos, árvores de fruta e plantas aromáticas.

Casa 5

Remoção de lixo/sucata de interior de casa ardida.

Casa 6

Recuperação de terrenos segundo alguns princípios de permacultura: realização de curvas de nível/valas para combate à erosão e retenção de água; cobertura de solos com feiteira. Corte de árvores.

2) limpeza do lixo/vidro/sucata do vale e consciencialização da comunidade local para este problema

Remoção de vidro que deu para encher 2 vidrões, inúmero lixo/sucata.

(Lixo/sucata recolhido na primeira campanha de limpeza, foto de José Montero, 2012)

Para além do diálogo constante com as famílias auxiliadas com esta intervenção sobre o problema do lixo, está previsto a realização de cartazes em madeira a apelar à manutenção da área limpa.

3) Recuperação de alguns terrenos/solos segundo alguns princípios de Permacultura

Nesta secção temos tido o apoio do permacultor Manuel Vicente e sempre que possível colocamos questões ao permacultor/arquitecto paisagista João Jorge.

Aqui fica o resumo de algumas coisas que já foram feitas e outras que estão planeadas.

1. Controlo da erosão – por acção das chuvas e vento (utilização dos troncos queimados e atados aos molhos e colocados horizontalmente perpendiculares ao sentido da água quando chove. fixos com estacas e amarrados. Abertura de valas que podem depois ser cheias com pedras)


2. Cobrir o solo para começar a ganhar humidade (prioridade para as zonas de trás dos troncos que se colocaram antes. Também se pode utilizar pedras. Utilizar rama de feteira por causa do Potássio)


3. Plantar plantas que acumulem Potássio, tais como Consolda – Symphytum officinale (para as zonas com alguma humidade)
4. Deixar crescer a feteira espontânea.
5. Plantar plantas de qualidade que cresçam rápido para criar biomassa e introduzir raízes no solo tais como a VetiverVetiveria zizanioides (Chrysopogon zizanioides)
6. Organizar um viveiro de plantas especiais para a replantação.
7. Planear a futura protecção do terreno e dos terrenos vizinhos.

É de referir também a importância de construir um compostor.

4) Limpeza da Ribeira

Removeu-se imensa cana-vieira ardida e o lixo que ficou a descoberto, de forma a desobstruir a ribeira aquando as primeiras chuvas.

Corte de cana-vieira

Antes do corte da cana-vieira

Depois do corte da cana-vieira

Alguma da cana-vieira recolhida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s