Círculo de bananeiras – aproveitamento das ‘águas cinzas’

Numa casa particular da travessa do Ribeiro Francês, aproveitou-se para transformar um conjunto de bananeiras parcialmente ardido pelos incêndios, num círculo de bananeiras com o objectivo de receber as ‘águas cinzas’ da casa-de-banho e cozinha, após sistema de filtragem de água.

Bananeiras antes da conversãoInício do círculo de bananeiras (diâmetro 2m)Círculo de bananeiras com 1m de profundidade – aqui vem parar as águas dos lavatorios/duche/máquinas de lavar roupa (…) da cozinha e casa-de-banho, após sistema de filtragem. Colocação de troncos grossos no fundo do círculo.Colocação de galhos médiosColocação de cana-vieira ardidaColocação de palha das bananeiras após limpeza das folhas e troncos ardidosVista geral do círculo de bananeiras – a matéria orgânica que enche o círculo atinge quase 1m de altura à superfície. Daqui a 3anos poderá ser substituída e utilizada como composto.

Anúncios

Continuam os trabalhos na Travessa do Ribeiro Francês

O vale da travessa do Ribeiro Francês está a ficar cada vez mais verde e limpo. Desde as intervenção dos voluntários do Projecto ‘Madeira Voluntária que os vizinhos continuam os trabalhos de recuperação e limpeza dos terrenos. Há cada vez mais colaboração entre-vizinhos! O espírito-comunitário está a re-nascer lentamente nesta área… Este sábado foi a vez dos cedros ardidos, árvores que estavam neste vale há mais de 40 anos, serem cortados.

Há quem esteja a dar outro destino aos terrenos antes abandonados. Cavam-se poios, procuram-se soluções para trazer água onde antes não havia…

Aqui vai nascer um pomar de árvores!

Tem-se continuado a limpeza de terrenos, recuperação de plantas…Erva caninha depois do incêndioRecuperação da planta erva caninha

O Renascer do Vale da Travessa Ribeiro Francês

No último sábado os voluntários do projecto ‘Madeira Voluntária’ estiveram na Travessa do Ribeiro Francês essencialmente para efectuar a limpeza do Ribeiro (corte de cana-vieira, remoção de lixo…). Pelo meio, aproveitou-se para terminar a espiral de plantas aromáticas de uma casa vizinha, eliminar silvado, cortar árvores… trabalho nesta área não falta!

Apesar dos voluntários do projecto ‘Madeira Voluntária’ seguirem para a Ponta do Pargo, na Travessa do Ribeiro Francês irão continuar alguns membros do Grupo Madeira em Transição, com o objectivo de dar continuidade à recuperação desta área.

Aos poucos e poucos o efeito da limpeza e recuperação está a contagiar a comunidade local: sucedem-se os cortes de árvores ardidas, o cultivo dos terrenos, emprestam-se ferramentas, partilham-se experiências…

Iremos continuar os trabalhos (limpeza dos terrenos, trituração de cana-vieira, etc.) a partir de dia 28 de Agosto,  durante a semana, quem quiser participar é só escrever para: transicaomadeira@gmail.com)

Toda a informação relativamente ao projecto ‘Madeira Voluntária’ deixará de ser publicado no blog do grupo Madeira em Transição e passará a ser publicado neste blog. As próximas intervenções deste projecto em Agosto serão na Ponta do Pargo (terrenos agrícolas de casa particular) e em Setembro na zona de Gaula –  (casa particular e estufas).

Fica aqui um registo fotográfico de alguns trabalhos efectuados no último dia na Travessa do Ribeiro Francês.

Limpeza da Ribeira

Detalhe ribeira antes da limpeza

Detalhe da ribeira depois da limpeza

Uma das áreas da ribeira após limpeza

Alguma da cana-vieira cortada

A sucata recolhida já tinha um carro à espera! As notícias da limpeza correram velozmente!…

A espiral de plantas no jardim de casa particular parcialmente ardida e palmeiras pequenas ao fundo – tivemos um grande donativo de plantas neste fim-de-semana!

Aos poucos o vale começa a ganhar vida!

Foto tirada um mês depois dos incêndios

Travessa do Ribeiro Francês – 4ª Edição

No próximo sábado está prevista mais uma intervenção em Santa Cruz, na área da Travessa do Ribeiro Francês, saída do Funchal às 14h30 e regresso previsto às 18h30, de modo a efectuar essencialmente o corte de cana-vieira e limpeza de terrenos adjacentes à Ribeira.

Com os incêndios, a cana-vieira ardida tombou para cima da ribeira sendo necessário proceder ao seu corte e remoção da Ribeira. Para além disso imenso lixo ficou a descoberto e aproveita-se assim para realizar a limpeza da Ribeira/terrenos adjacentes.

Quem tiver consigo, solicitamos que tragam podoas/catanas e/ou foices, para além de luvas e vestuário/calçado adequado.

Para mais informações e inscrições, escrever para: escolayogafunchal@gmail.com.

Travessa do Ribeiro Francês – 3ª Edição

Nem o sol intenso do último sábado demoveu os voluntários de continuarem a intervenção de recuperação do vale da Travessa do Ribeiro Francês.

Grande parte das tarefas a que nos propusemos no início do mês de Agosto estão a ser concluídas, nomeadamente recuperação de jardins, recolha de lixo, remoção de entulho de casas ardidas,  provimento de roupa de inverno, material de limpeza, plantas para casas afectadas pelos incêndios, electrodomésticos (máquina de lavar roupa) etc.

(Realização de espiral de plantas aromáticas na casa de uma vizinha cuja casa ficou seriamente danificada e perdeu o jardim)

(Plantas doadas às famílias afectadas pelos incêndios e que foram plantadas no último fim-de-semana).

(Aos poucos, os jardins começam a ganhar vida. Embora tenham perdido muita coisa, as senhoras desta localidade referiam acima de tudo a importância das suas plantas e o verde dos seus jardins).

(Recolheu-se novamente uma grande quantidade de lixo, vidro… Na intervenção do próximo fim-semana espera-se recolher igual ou mais quantidade)

(Finalização da Remoção de Entulho numa das casas afectadas e com o apoio da comunidade local)

Ainda há muita coisa para realizar a nível de recuperação dos solos, combate da erosão, retenção de águas, consciencialização da população relativamente ao lixo, espírito comunitário. Sementes de mudança estão a germinar… é ver alguns vizinhos a recolherem lixo/sucata, a terem cuidado onde colocar o entulho removido, a emprestarem os seus utensílios (moto-serra, enchadas, bales, etc.) uns aos outros…

No próximo fim-de-semana está prevista a última intervenção neste vale com os voluntários do projecto ‘Madeira Voluntária’. Pretende-se limpar grande parte das canas-vieiras que caíram dentro da ribeira e lixo que ficou a descoberto após os incêndios e que com as primeiras chuvas poderão trazer sérios problemas à comunidade local.

Após esta intervenção o projecto ‘Madeira Voluntária’  segue para outros ‘vizinhos’ no Palheiro Ferreiro e Ponta do Pargo que necessitam igualmente de auxílio. No entanto, as sementes estão lançadas. Na travessa do Ribeiro Francês continuam elementos do Grupo Madeira em Transição que com a comunidade local continuam o trabalho de recuperação dos solos e consciencialização da comunidade local, durante os próximos meses. 

Aos poucos e poucos o Vale da Travessa do Ribeiro Francês está a renascer. O cinzento está a dar cor ao verde. O Vale está a ganhar Vida!

Jardim afectado pelos incêndios antes da recuperação

Recuperação e aplicação de Feiteira no Jardim

Pormenor do Jardim após a intervenção (repare-se no contraste do verde com o cinzento do resto do vale – ao fundo.)

Travessa do Ribeiro Francês – Apanha de Feiteira

Esta quarta, 9 corajosos voluntários madrugaram no Poiso com o objectivo de apanhar Feiteira e Giesta para cobertura dos terrenos afectados pelos incêndios em Santa Cruz.

Feiteira e Giesta são duas plantas fixadoras de Azoto, um elemento essencial ao crescimento de plantas. A Feiteira é igualmente rica em potássio, um elemento importante na fotossíntese, na formação de frutos, resistência ao frio e às doenças das plantas.

Assim que a Feiteira e a Giesta se decompõem irão libertar azotoe potássio no solo. Este elemento fica disponível para as restantes plantas, especialmente aquelas que são incapazes de obter estes elementos da atmosfera. Simultaneamente ao aplicar estas plantas na cobertura de solos, será possível manter com maior facilidade o nível de humidade e matéria orgânica nos mesmos, o que promove um aumento da fauna benéfica dos solos – sejam minhocas que melhoram do ponto de vista do aumento da matéria orgânica, e arejamento, sejam micro-organismos.

Rapidamente em cerca de 2horas, e porque não brincamos em serviço, enchemos um canter da empresa de transporte Ornelas e Nóbrega, que se disponibilizou a realizar o serviço gratuitamente.

Para além da cobertura de solos, a feiteira colhida irá ser aplicada na alimentação de animais (cabras, etc.), bem como na plantação de batatas.

Próximo sábado, dia 11 de Agosto, voltamos a Santa Cruz para continuar os trabalhos de recuperação da travessa do Ribeiro Francês. Que quiser se juntar aos trabalhos em curso é muito bem-vindo!

Fica aqui um agradecimento à Direcção Regional de Florestas que autorizou a recolha de Feiteira, todo o apoio prestado pelos seus funcionários, guardas do posto florestal do Poiso/Montado do Pereiro, empresa de transporte Ornelas e Nóbrega, bem como todos os que contribuiram para a divulgação desta actividade (inúmeras partilhas no facebook!), e a todos nós participantes na apanha e transporte da feiteira!

Travessa do Ribeiro Francês – 2ª Edição

No dia 05 de Agosto, 25 voluntários deslocaram-se a Santa Cruz no âmbito do Projecto ‘Madeira Voluntária’ de forma a dar continuidade à campanha de limpeza, recuperação de terrenos e apoio a casas afectadas pelos incêndios (em-accao-nas-zonas-afectadas-pelos-incendios). Voluntários lado-a-lado com a população local removeram entulho de casas, limparam terrenos e recolheram lixo/destroços do vale da Travessa do Ribeiro Francês.

Há imenso por fazer, limpar, cuidar, mas quando um grupo de cidadãos colabora, auxilia e contribui na melhoria do nosso planeta, a mudança acontece!

Em menos de 3horas a quantidade de entulho e vidrão recolhida na zona encheu os contentores disponibilizados pela Câmara de Santa Cruz para esta campanha de limpeza.

Simultaneamente cortaram-se inúmeras cana-vieiras ardidas que cobriram os terrenos adjacentes, sendo agora necessário proceder à sua trituração para aplicação no solo/locais estratégicos.

De forma a eliminar a cana-vieira, uma vez que esta já começa a germinar nas áreas cortadas, procedeu-se à cobertura dos terrenos com geo-têxtil. Este deverá permanecer nas áreas com cana-vieira durante uns bons meses, de forma às canas morrerem e não voltarem a crescer. A ideia é esgotar toda a energia conservada nos rizomas, que desta forma irá para o solo em forma de húmus.

(Cobertura da cana-vieira com geo-têxtil – fase inicial)

Aos poucos e poucos, com a contribuição de todos, o cinzento das zonas afectadas pelos incêndios começam a ganhar cor e esperança!

(Primeiras plantinhas de abóbora a despontarem na cama capilar – a cobertura da cama ardeu completamente, mas as sementes de abóbora germinaram!)

A próxima intervenção será no dia 11 de Agosto (próximo sábado), saída do Funchal pelas 14h30 com término previsto às 18h30, para mais informações: escolayogafunchal@gmail.com

Nesta próxima intervenção está prevista a continuação de remoção do entulho das casas ardidas, recuperação de jardim particular com realização de espiral de plantas aromáticas, corte de cana-vieira na zona da ribeira (é urgente limpar as ribeiras antes das próximas chuvas), recolha de vidro/destroços, cobertura de solos com feiteira/giesta, etc.

Dia 8 de Agosto (próxima quarta-feira) iremos recolher feiteira/giesta para cobertura de solos. Quem desejar participar na recolha de feiteira/giesta entrar em contacto com: transicaomadeira@gmail.com).

Há muita coisa por fazer, o lema é ‘mãos-à-obra’ e se quiser participar é muito bem-vindo!

As sementes de mudança começam a espalhar-se (noticia.php?Seccao=14&id=222579&sup=0&sdata=) e esperamos que mais iniciativas semelhantes a esta, dinamizadas por cidadãos, sejam cada vez mais frequentes.