Gaula – 7ª Edição

O Projecto ‘Madeira Voluntária’ no próximo sábado irá deslocar-se até Gaula para auxiliar na recuperação de umas estufas e remoção de entulho de uma casa completamente destruída. O proprietário da casa e estufas já havia sido afectado pelo 20 de Fevereiro e como tal o desânimo instalou-se. Faz sentido continuar, quando nem ainda tinha recuperado do 20 de Fevereiro?

Mais importante do que o trabalho de limpeza e recuperação é a energia, força e entusiasmo que os voluntários levam a este local e a este proprietário.

Saída do Funchal às 14h30, regresso às 18h30. 4h num dia que podem mudar uma vida!

Inscrição obrgatória através do email: escolayogafunchal@gmail.com

Items recolhidos através da Feira de Trocas

Recolheram-se inúmeros garrafões de plástico de 5litros, alguns pacotes de leite, várias plantas, árvores e sementes como solicitado durante a Feira de Trocas ‘Believe in Peace’ para o futuro viveiro de árvores de fruta/plantas comunitário na Travessa do Ribeiro Francês.

Simultaneamente entregou-se à Câmara Municipal de Santa Cruz alguns electrodomésticos (ferro de engomar), 2 televisões, diversos utensílios de cozinha (pratos, chávenas, etc.) para as famílias que ficaram com as suas casas danificadas durante os incêndios em Santa Cruz.

A Escola de Yoga continuará a recolher os artigos/electrodomésticos já solicitados anteriormente (mobiliário de casa, pequenos e grandes electrodomésticos, etc.). Caso queira contribuir para esta causa, é so escrever para a escola de yoga do Funchal (escolayogafunchal@gmail.com).

Projecto ‘Madeira Voluntária’ na Feira de Trocas

A entrada da próxima feira de trocas ‘Believe in Peace’, no dia 23 de Setembro, no Funchal (http://www.facebook.com/events/465058056861916/);  irá reverter para famílias e terrenos futuro viveiro de árvores de fruta/plantas aromáticas que estão a ser apoiados por voluntários do projecto ‘Madeira Voluntária’, bem como a Câmara Municipal de Santa Cruz que cedeu uma lista de items necessários para este concelho.

Assim é solicitado que os participantes na feira tragam pelo menos um item da seguinte lista:

1) Para o viveiro de árvores de fruta/plantas aromáticas: garrafões de 5L vazias, garrafas de 1.5L vazia, pacotes de leite tetrapark vazios, árvores de fruta e/ou sementes, plantas aromáticas, mangueira de rega, material de estufa.

2) Para famílias afectadas pelos incêndios (e em colaboração com a Câmara Municipal de Santa Cruz): electrodomésticos de grande envergadura: frigoríficos, máquinas de lavar roupa, televisões, fogões, esquentadores.
Mobiliário diverso: mesas, camas, armários, estantes, mesas de apoio, etc. Pequenos utensílios: serviços de cozinha (panelas, talheres, pratos, etc.) tapetes, toalhas, vassouras, etc., etc. (tudo o que uma cozinha deve ter… casa-de-banho… etc.)
Animais: galinhas, cabras, periquitos machos.

Círculo de bananeiras – aproveitamento das ‘águas cinzas’

Numa casa particular da travessa do Ribeiro Francês, aproveitou-se para transformar um conjunto de bananeiras parcialmente ardido pelos incêndios, num círculo de bananeiras com o objectivo de receber as ‘águas cinzas’ da casa-de-banho e cozinha, após sistema de filtragem de água.

Bananeiras antes da conversãoInício do círculo de bananeiras (diâmetro 2m)Círculo de bananeiras com 1m de profundidade – aqui vem parar as águas dos lavatorios/duche/máquinas de lavar roupa (…) da cozinha e casa-de-banho, após sistema de filtragem. Colocação de troncos grossos no fundo do círculo.Colocação de galhos médiosColocação de cana-vieira ardidaColocação de palha das bananeiras após limpeza das folhas e troncos ardidosVista geral do círculo de bananeiras – a matéria orgânica que enche o círculo atinge quase 1m de altura à superfície. Daqui a 3anos poderá ser substituída e utilizada como composto.

Continuam os trabalhos na Travessa do Ribeiro Francês

O vale da travessa do Ribeiro Francês está a ficar cada vez mais verde e limpo. Desde as intervenção dos voluntários do Projecto ‘Madeira Voluntária que os vizinhos continuam os trabalhos de recuperação e limpeza dos terrenos. Há cada vez mais colaboração entre-vizinhos! O espírito-comunitário está a re-nascer lentamente nesta área… Este sábado foi a vez dos cedros ardidos, árvores que estavam neste vale há mais de 40 anos, serem cortados.

Há quem esteja a dar outro destino aos terrenos antes abandonados. Cavam-se poios, procuram-se soluções para trazer água onde antes não havia…

Aqui vai nascer um pomar de árvores!

Tem-se continuado a limpeza de terrenos, recuperação de plantas…Erva caninha depois do incêndioRecuperação da planta erva caninha

Ponta do Pargo – 6ª Edição

Este sábado deu-se continuidade aos trabalhos da última intervenção do Projecto ‘Madeira Voluntária’ num terreno particular na Ponta do Pargo. Este terreno possuía cerca de 2000 espécies de plantas, 60 frutos e cerca de 50 vegetais, fruto do trabalho dos últimos 15 anos dos proprietários do terreno. Mais uma vez, os voluntários do Projecto ‘Madeira Voluntária’ estiveram centrados na recuperação do terreno e pilha de compostagem de forma a recuperar este terreno.
No próximo sábado, desta vez o alvo de intervenção será uma moradia completamente destruída em Gaula e estufas nas suas imediações que foram afectadas pelos incêndios. As estufas já haviam sido parcialmente destruídas aquando o 20 de Fevereiro. A saída está prevista para as 14h30 do Funchal (Tecnopólo) e o regresso para as 18h30. Para mais informações: escolayogafunchal@gmail.com
Fica aqui o registo das actividades realizadas em conjunto com os proprietários, numa tarde de trabalho muito produtiva!
– preparação de um espaço para ampliar uma caixa de compostagem (retirada de telhas e retirada dos detritos da antiga caixa para adubagem de outro terreno, contrução do compostor)
– transporte de adubo animal para servir de fertilizante
– transporte de galhos grossos para construção do suporte das paredes da caixa de compostagem
– transporte dos triturados da 1ª intervenção neste terreno, realizada a 21 de Agosto, para a caixa gigante de compostagem
– recolha de vidros e pedras existentes entre as plantas
– corte de folhas de plantas de jardim que estavam queimadas ou apodrecidas
– corte de folhas de palmeiras que estavam queimadas
E no final do dia os voluntários tiveram direito a jantar oferecido pelos proprietários do terreno com um fantástico pôr-do-sol!

Ponta do Pargo – 6ª Edição

47 voluntários já participaram no ‘Projecto Madeira Voluntária’, seja em Santa Cruz, seja no Palheiro Ferreiro, ou na Ponta do Pargo.

Desta vez, no próximo sábado está prevista uma nova deslocação à Ponta do Pargo, para finalizar os trabalhos de recuperação de terrenos de uma casa particular. A saída do Funchal está prevista para as 14h00, (encontro no tecnopólo) e o término da intervenção às 19h00. Segue-se um jantar oferecido pelos proprietários do terreno, se bem que recomendamos a todos os voluntários que levem comida para o jantar/partilhar. Para mais informações contactar: escolayogafunchal@gmail.com