Santo António – 8ª Edição Madeira Voluntária

Mãos-na-obra tem sido uma experiência fantástica para umas 20 pessoas, até agora! Neste novo ano, ainda não entrámos em ação! Contamos fazê-lo no próximo Sábado, dia 2, das 14h30 às 18h, em Santo António!

Esta será a 8ª intervenção. Iremos a Santo António (Estrada Comandante Camacho de Freitas) ao terreno do Sancho e dos pais (Lígia e Jorge). Esta família quer desenvolver um projeto de agricultura (dentro da dinâmica da permacultura: bosque alimentar) e recuperar a casa antiga. O filho vive entre Continente e Madeira e os pais estão cá. Para poderem começar a desenvolver o projeto com meios próprios, este casal amigo agradece alguma ajuda para tornar utilizáveis 2 compartimentos da casa e criar uma solução de casa de banho ecológica. Assim, poderão permanecer por períodos mais longos no terreno.🙂 Vamos ajudá-los?

Mad Vol 8 _ MV

Detalhes desta intervenção e preparativos:

  • Trabalhos a fazer: remoção de entulho de dois quartos e construção de casa-de-banho seca.
  • Equipamento necessário (se tiveres! Senão traz as mãos e boa vontade!) pás, enxadas, foices, podoas; balde grande e resistente para transportar entulho.
  • Vestuário recomendado: roupa velha, calça comprida e T-shirt manga comprida; sapatos resistentes e LUVAS GROSSAS, chapéu.
  • Para consumir: água e farnel (podemos levar coisas para partilhar, mas não fiquem a contar com isso e levem o que necessitam).

Ponto de encontro: quem conhece e não precisa de boleia vai lá ter diretamente às 15h, quem precisa de boleia vai ter ao parque de estacionamento ao pé do Tecnopolo (barraca dos cachorros🙂 ) às 14h30 e se não conhecer ninguém que vá peça ajuda aos organizadores para os contactos disponibilizados.

Mais informações e contactos:

Escola de Yoga do Funchal – Ana Isabel Freitas (963150414), Tina Nunes (964705605) – escolayogafunchal@gmail.com

https://madeiravoluntaria.wordpress.com/

 

Gaula – 7ª Edição

O Projecto ‘Madeira Voluntária’ no próximo sábado irá deslocar-se até Gaula para auxiliar na recuperação de umas estufas e remoção de entulho de uma casa completamente destruída. O proprietário da casa e estufas já havia sido afectado pelo 20 de Fevereiro e como tal o desânimo instalou-se. Faz sentido continuar, quando nem ainda tinha recuperado do 20 de Fevereiro?

Mais importante do que o trabalho de limpeza e recuperação é a energia, força e entusiasmo que os voluntários levam a este local e a este proprietário.

Saída do Funchal às 14h30, regresso às 18h30. 4h num dia que podem mudar uma vida!

Inscrição obrgatória através do email: escolayogafunchal@gmail.com

Items recolhidos através da Feira de Trocas

Recolheram-se inúmeros garrafões de plástico de 5litros, alguns pacotes de leite, várias plantas, árvores e sementes como solicitado durante a Feira de Trocas ‘Believe in Peace’ para o futuro viveiro de árvores de fruta/plantas comunitário na Travessa do Ribeiro Francês.

Simultaneamente entregou-se à Câmara Municipal de Santa Cruz alguns electrodomésticos (ferro de engomar), 2 televisões, diversos utensílios de cozinha (pratos, chávenas, etc.) para as famílias que ficaram com as suas casas danificadas durante os incêndios em Santa Cruz.

A Escola de Yoga continuará a recolher os artigos/electrodomésticos já solicitados anteriormente (mobiliário de casa, pequenos e grandes electrodomésticos, etc.). Caso queira contribuir para esta causa, é so escrever para a escola de yoga do Funchal (escolayogafunchal@gmail.com).

Projecto ‘Madeira Voluntária’ na Feira de Trocas

A entrada da próxima feira de trocas ‘Believe in Peace’, no dia 23 de Setembro, no Funchal (http://www.facebook.com/events/465058056861916/);  irá reverter para famílias e terrenos futuro viveiro de árvores de fruta/plantas aromáticas que estão a ser apoiados por voluntários do projecto ‘Madeira Voluntária’, bem como a Câmara Municipal de Santa Cruz que cedeu uma lista de items necessários para este concelho.

Assim é solicitado que os participantes na feira tragam pelo menos um item da seguinte lista:

1) Para o viveiro de árvores de fruta/plantas aromáticas: garrafões de 5L vazias, garrafas de 1.5L vazia, pacotes de leite tetrapark vazios, árvores de fruta e/ou sementes, plantas aromáticas, mangueira de rega, material de estufa.

2) Para famílias afectadas pelos incêndios (e em colaboração com a Câmara Municipal de Santa Cruz): electrodomésticos de grande envergadura: frigoríficos, máquinas de lavar roupa, televisões, fogões, esquentadores.
Mobiliário diverso: mesas, camas, armários, estantes, mesas de apoio, etc. Pequenos utensílios: serviços de cozinha (panelas, talheres, pratos, etc.) tapetes, toalhas, vassouras, etc., etc. (tudo o que uma cozinha deve ter… casa-de-banho… etc.)
Animais: galinhas, cabras, periquitos machos.

Círculo de bananeiras – aproveitamento das ‘águas cinzas’

Numa casa particular da travessa do Ribeiro Francês, aproveitou-se para transformar um conjunto de bananeiras parcialmente ardido pelos incêndios, num círculo de bananeiras com o objectivo de receber as ‘águas cinzas’ da casa-de-banho e cozinha, após sistema de filtragem de água.

Bananeiras antes da conversãoInício do círculo de bananeiras (diâmetro 2m)Círculo de bananeiras com 1m de profundidade – aqui vem parar as águas dos lavatorios/duche/máquinas de lavar roupa (…) da cozinha e casa-de-banho, após sistema de filtragem. Colocação de troncos grossos no fundo do círculo.Colocação de galhos médiosColocação de cana-vieira ardidaColocação de palha das bananeiras após limpeza das folhas e troncos ardidosVista geral do círculo de bananeiras – a matéria orgânica que enche o círculo atinge quase 1m de altura à superfície. Daqui a 3anos poderá ser substituída e utilizada como composto.

Continuam os trabalhos na Travessa do Ribeiro Francês

O vale da travessa do Ribeiro Francês está a ficar cada vez mais verde e limpo. Desde as intervenção dos voluntários do Projecto ‘Madeira Voluntária que os vizinhos continuam os trabalhos de recuperação e limpeza dos terrenos. Há cada vez mais colaboração entre-vizinhos! O espírito-comunitário está a re-nascer lentamente nesta área… Este sábado foi a vez dos cedros ardidos, árvores que estavam neste vale há mais de 40 anos, serem cortados.

Há quem esteja a dar outro destino aos terrenos antes abandonados. Cavam-se poios, procuram-se soluções para trazer água onde antes não havia…

Aqui vai nascer um pomar de árvores!

Tem-se continuado a limpeza de terrenos, recuperação de plantas…Erva caninha depois do incêndioRecuperação da planta erva caninha

Ponta do Pargo – 6ª Edição

Este sábado deu-se continuidade aos trabalhos da última intervenção do Projecto ‘Madeira Voluntária’ num terreno particular na Ponta do Pargo. Este terreno possuía cerca de 2000 espécies de plantas, 60 frutos e cerca de 50 vegetais, fruto do trabalho dos últimos 15 anos dos proprietários do terreno. Mais uma vez, os voluntários do Projecto ‘Madeira Voluntária’ estiveram centrados na recuperação do terreno e pilha de compostagem de forma a recuperar este terreno.
No próximo sábado, desta vez o alvo de intervenção será uma moradia completamente destruída em Gaula e estufas nas suas imediações que foram afectadas pelos incêndios. As estufas já haviam sido parcialmente destruídas aquando o 20 de Fevereiro. A saída está prevista para as 14h30 do Funchal (Tecnopólo) e o regresso para as 18h30. Para mais informações: escolayogafunchal@gmail.com
Fica aqui o registo das actividades realizadas em conjunto com os proprietários, numa tarde de trabalho muito produtiva!
– preparação de um espaço para ampliar uma caixa de compostagem (retirada de telhas e retirada dos detritos da antiga caixa para adubagem de outro terreno, contrução do compostor)
– transporte de adubo animal para servir de fertilizante
– transporte de galhos grossos para construção do suporte das paredes da caixa de compostagem
– transporte dos triturados da 1ª intervenção neste terreno, realizada a 21 de Agosto, para a caixa gigante de compostagem
– recolha de vidros e pedras existentes entre as plantas
– corte de folhas de plantas de jardim que estavam queimadas ou apodrecidas
– corte de folhas de palmeiras que estavam queimadas
E no final do dia os voluntários tiveram direito a jantar oferecido pelos proprietários do terreno com um fantástico pôr-do-sol!